SENADO GASTA R$ 1,3 MILHÃO POR ANO COM OPERAÇÃO DE ELEVADORES, FORA OS CUSTOS DE MANUTENÇÃO

SENADO GASTA R$ 1,3 MILHÃO POR ANO COM OPERAÇÃO DE ELEVADORES, FORA OS CUSTOS DE MANUTENÇÃO

O Senado Federal empenhou R$ 133,9 mil para a contratação de empresa serviços de operação de elevadores, abrangendo as categorias de ascensorista diurno, noturno e controlador de tráfego diurno, nas dependências dos Anexos I e II do Senado Federal. O valor atende ao período de 25 de novembro até 31 de dezembro e foi destinado para a empresa C&P Soluções em Telemarketing Eireli.

A contratação da empresa nesse final de ano é remanescente do Pregão Eletrônico nº 110/2016, em decorrência da iminente rescisão do Contrato nº 155/2016, objetivando manter a continuidade da prestação dos serviços.

De acordo com a legislação de licitações, na contratação de remanescente de obra, serviço ou fornecimento, em consequência de rescisão contratual, desde que atendida a ordem de classificação da licitação anterior e aceitas as mesmas condições oferecidas pelo licitante vencedor, inclusive quanto ao preço, devidamente corrigido.

O contrato antigo mostra que os serviços custam R$ 1,3 milhão aos cofres públicos por ano. O pregão de contratação dos serviços acontece em função da necessidade de condução aos pavimentos das edificações do Senado Federal, de autoridades, de servidores e visitantes que circulam pelos prédios, de modo confortável e seguro, bem como assegurar a eficiência do funcionamento dos elevadores.

Ao todo são 24 ascensoristas diurnos, dois ascensoristas noturnos e dois controladores de tráfego diurnos. Os profissionais trabalham 30 horas por semana. Confira as atribuições:

ASCENSORISTA DIURNO e NOTURNO

  1. a) conduzir elevadores para o transporte de pessoas e de cargas aos andares dos Edifícios, registrando os andares solicitados para desembarque, mediante o pressionamento dos botões do painel de controle, observando os limites de carga, visando garantir a segurança dos passageiros e cargas;
  2. b) Zelar pelo bom funcionamento, guarda e conservação dos elevadores;
  3. c) Auxílio no embarque e desembarque de passageiros, em especial aos portadores de necessidades especiais, idosos e crianças;
  4. d) Zelar pela segurança dos usuários e do equipamento utilizado;
  5. e) Abster-se da execução de atividades alheias aos objetivos previstos neste Termo de Referência;
  6. f) Tratar todas as autoridades, servidores do Senado Federal, terceirizados, estagiários, colegas de trabalho e demais pessoas com educação, urbanidade, presteza, fineza e atenção;
  7. g) Cumprir todas as normas e determinações legais emanadas do fiscal do contrato, por meio do preposto da empresa CONTRATADA;
  8. h) conservar o elevador sempre limpo;
  9. i) Comunicar imediatamente ao controlador de tráfego qualquer alteração que modifique o uso normal do elevador;
  10. j) Escolaridade: Ensino Fundamental (1° Grau) completo e curso específico da função com diploma emitido por empresa legalmente constituída.

CONTROLADOR DE TRÁFEGO DIURNO:

  1. a) Coordenar a execução geral das atividades dos ascensoristas;
  2. b) Comunicar ao fiscal do contrato todo acontecimento entendido como irregular;
  3. c) Orientar os empregados quanto a presteza no atendimento e cumprimento das normas de segurança e zelar pela coordenação do tráfego nos elevadores;
  4. d) Controlar o fluxo de pessoal nos elevadores;
  5. e) Verificar a limpeza e o perfeito funcionamento dos elevadores;
  6. f) Verificar a operacionalidade de cada elevador no início e no término de cada turno;
  7. g) Escolaridade: Ensino Médio (2º Grau) completo e curso específico de ascensorista com diploma emitido por empresa legalmente constituída.

Fonte: Contas Abertas