QUANTO VALE O SEU VOTO?

QUANTO VALE O SEU VOTO?

Antes que você responda a pergunta feita no título, já vai mais uma: O que você pensa quando ouve falar sobre voto consciente?

Já sabemos, diante de tantas notícias ruins e escândalos de corrupção envolvendo a classe política, provavelmente você também fique tentado a deixar esse assunto pra lá, já que “pior do que está não fica”.   Mas se você está lendo este artigo certamente ainda acredita – assim como nós – que o cenário pode e deve melhorar e o momento é mais do que oportuno.

Estamos às vésperas de eleições gerais, onde vamos ajudar a eleger novamente Senadores, Deputados Federais e Estaduais, Governador do Estado e Presidente da República. E sabe do que eles mais têm medo? É justamente de não se elegerem, ou melhor, aqueles velhos conhecidos da política antiga, temem mesmo não se REELEGEREM. E sabe por quê? Porque o VOTO de cada um vale todo o projeto de vida de muitos deles. E é a soma dos votos individuais de cada cidadão que permite a eleição ou a reeleição.

Mas não estamos aqui para dizer que político é ruim, pelo contrário! Dependemos deles para quase tudo e tudo que eles fazem tem reflexos diretos e muitas vezes imediatos na nossa vida particular. Então, seria sensato lembrar o que dizia Platão: Se você não gosta de política, quem gosta vai mandar em você. Por isso apoiamos e ajudamos a divulgar a campanha de combate à corrupção encabeçada pelo Procurador da Operação Lava-Jato Deltan Dallagnol, o movimento “Unidos Contra a Corrupção”.

Essa é uma campanha apartidária de voto consciente liderada pela sociedade civil e que tem por objetivo eleger políticos que preencham três requisitos básicos: 1) ter passado limpo; 2) ter compromisso com a democracia e 3) dar apoio ao novo pacote anticorrupção.

No site www.unidoscontraacorrupcao.org.br dá para conhecer as 70 medidas contra a corrupção, além de também assinar o manifesto e fazer parte dessa união. A Matra ficou muito orgulhosa de ter sido convidada pela organização do movimento para ajudar na divulgação da campanha de conscientização dos eleitores, afinal, outubro está logo aí e se cada um fizer a sua parte, poderemos dar um passo importante na moralização da política nacional, elegendo pessoas sérias, realmente comprometidas com as causas econômicas, sociais e humanitárias e que atendam aos três requisitos do movimento contra a corrupção.

O momento é propício também para acabar com um mito, uma MENTIRA que é difundida a muito tempo, de que um número elevado de VOTOS NULOS poderia invalidar uma eleição. Isso é uma informação falsa, porque a Legislação Eleitoral Brasileira considera apenas os VOTOS VÁLIDOS, desconsiderando, portanto, os brancos e nulos.

Não deixe de votar, o voto é um direito, não uma obrigação. Lembre-se que infelizmente ainda temos em nosso país as mais variadas formas de compra de voto e quando isso ocorre, os motivos são alheios ao bem comum.

A nós, sociedade comum, que somos maioria da população, cabe exercer com consciência o direito fundamental ao voto para a consolidação da democracia. É claro que não vai ser em uma única eleição que vamos mudar o Brasil, mas não podemos deixar para começar sempre na próxima. A hora é agora! Fale com todas as pessoas que você conhece e que sabe que também sonha com um país melhor para todos. Explique que ao deixar de votar, além de abrir mão de um direito conquistado à duras penas, é como se você passasse uma procuração (mesmo que indiretamente) para que as outras pessoas decidam por você.

O VOTO vale tudo. Exerça esse direito com responsabilidade e otimismo. Porque Marília, o Estado de São Paulo e o Brasil tem dono: VOCÊ.