Conselho de Saúde identifica falta de remédios na rede básica

Conselho de Saúde identifica falta de remédios na rede básica

A comissão de fiscalização do Comus (Conselho Municipal de Saúde) identificou a falta de medicamentos na rede básica, diferente do que foi informado pela Secretaria da Saúde, que havia mencionado a solução do problema.

O assunto foi destaque na última reunião dos conselheiros que teve a participação do gestor da pasta, Ricardo Mustafá.

A falta de medicamentos está entre as cem constatações resultantes da fiscalização realizada pelo Comus na rede básica.

Segundo reportagem publicada no Jornal da Manhã, foi utilizada uma amostragem de 14 unidades para as vistorias surpresas, feitas no final de 2018 e no início deste ano.

No mês passado a Secretaria Municipal da Saúde respondeu ao conselho sobre o que foi ou tem sido feito.

E agora os conselheiros fazem uma nova verificação in loco.

Três revisitas foram feitas desde a semana passada nas unidades do Castelo Branco, Vila Barros e Jânio Quadros.

“Um dos pontos abordados nas unidades de saúde revisitadas foi a falta de medicamentos, tida como situação resolvida (na resposta da secretaria ao Comus). Contudo está não foi a situação constatada, muitos medicamentos ainda estão em falta”, disse o presidente do Comus, Gilberto Martins.

O conselho também destacou a falta de agentes comunitários de saúde e de agentes de controle de endemias nas unidades.

“Para essa questão a resposta da Secretaria Municipal da Saúde foi a existência do projeto de lei para ampliação do quadro. Contudo, no entendimento dos conselheiros essa deveria ser uma prioridade, já que interfere diretamente na qualidade da vida das usuários, e agrava o estado geral da saúde das pessoas”, mencionou o presidente do Comus.

O secretário de saúde foi informado do problema e mencionou que todos os apontamentos da fiscalização do Comus foram considerados, mas não é possível resolvê-los de imediato.

Até por haver situações antigas e complexas entre as constatações.

Várias envolvendo mais de uma secretaria.

A comissão de fiscalização do Comus decidiu fazer as revisitas porque as respostas da secretaria em relação aos apontamentos foram consideradas justificativas, mas com pouco conteúdo prático de ações efetivas para resolução dos problemas.

Fonte: Jornal da Manhã

*imagem meramente ilustrativa.