Notícias

Busca

MATRA

AMÉLIE BOUDET: MP pede intervenção da Prefeitura

09 de janeiro de 2013 - 08:37

O Ministério Público solicita a intervenção da Prefeitura no Lar de Meninas Amélie Boudet.

A entidade, que completou 56 anos no último mês de dezembro, está vazia desde o último dia 18 e corre o risco de fechar em função das irregularidades constatadas.

As crianças e adolescentes estão abrigadas temporariamente no Pequeno Cidadão e Cacam. O promotor da Vara da Infância e Juventude, Jurandir Afonso Ferreira, informou ontem ao Jornal da Manhã que vai se reunir com o prefeito Vinicius Camarinha para solicitar a intervenção.

Sua proposta é de que o município se torne parceiro da associação espírita que responde pelo Lar Amélie Boudet, a fim de resolver problemas pendentes e garantir um melhor aproveitamento da estrutura da entidade. “Já existem dois professores da Secretaria da Educação emprestados ao Lar de Meninas, mas uma aproximação maior pode impedir o fechamento da entidade e gerar até mesmo economia para os cofres municipais”, disse o promotor.

Ele sugere a transferência do serviço da unidade 9 do Pequeno Cidadão para o Amélie Boudet. “A estrutura do lar é grande e pode ser melhor aproveitada.

O problema é que essa entidade não conta com pessoal especializado, que poderia ser direcionado pela própria Prefeitura para lidar com adolescentes mais rebeldes, como é o perfil de atendimento da Casa 11 do Pequeno Cidadão”, mencionou Jurandir Afonso Ferreira.

O risco de fechar do abrigo está associado ao comportamento rígido de uma parte dos funcionários, o que está em investigação pelo poder judiciário, além de desvio de funções e mau aproveitamento da estrutura física, entre outros pontos não detalhados devido ao sigilo do caso.

Entre os apontamentos do Ministério Público quanto ao mau aproveitamento da estrutura está o número reduzido de acolhimentos em comparação ao tamanho do imóvel.

Ou o fato da entidade ter quatro pianos doados pela sociedade e nenhum professor para ensinar as crianças a tocar.

O promotor ressaltou que o Lar de Meninas Amélie Boudet pertence à sociedade e seu fechamento seria uma “grande perda para Marília”. “Desde a fundação da entidade, há 56 anos, a sociedade vem contribuindo continuamente”, frisou.

O período é de defesa e adequação por parte da direção do Lar de Meninas, mas, segundo o promotor, até o momento nenhum movimento foi feito nesse sentido.

Fonte: Jornal da Manhã de Marília

Comentários

Mais vistos