Notícias

Busca

MATRA

Apenas uma empresa se cadastrou para participar de pregão; custo será de R$ 232 mil e 500

25 de julho de 2012 - 13:06

Foi realizado hoje (25), na Câmara Municipal, o pregão presencial do tipo menor preço por lote para a contratação da empresa que fará a instalação e manutenção do painel eletrônico de votação. A única empresa que se cadastrou foi a Web Line Software Ltda ME.

Segundo o relatório avaliativo para a instalação do sistema, elaborado pelo engenheiro Levorato, a previsão de gastos para a implementação e manutenção do painel eletrônico era de R$ 250 mil para os três lotes. Para o primeiro lote, que se refere a instalação e equipamentos para o sistema eletrônico de avaliação, a Web Line ofereceu pelos serviços o valor de R$ 95 mil.

Para o segundo lote, que trata da instalação e equipamento de infraestrutura, o valor oferecido foi de R$ 21 mil e 500. No último lote, que dispõe sobre o sistema de votação eletrônica, o preço ficou fixado em R$ 116 mil. No total, a instalação e manutenção do painel eletrônico custará R$ 232 mil e 500.

Para a Matra – Marília Transparente – este é um gasto desnecessário, pois a quantidade de vereadores é pequena e este tipo de sistema é utilizado quando há mais de 500 parlamentares. Além disso, o regimento interno da Câmara não prevê a votação eletrônica.

A entidade conversou com os vereadores Benedito Donizete Alves, Carlos Eduardo Gimenes, Eduardo Nascimento, Herval Rosa Seabra, José Carlos Albuquerque, Júnior da Farmácia, Mário Coraini Júnior, Pedro do Gás e Wilson Damasceno sobre a implementação do painel. Nenhum edil afirmou ter feito uma solicitação formal do sistema.

Os vereadores Wilson Damasceno, Mário Coraini Júnior, Eduardo Nascimento, Júnior da Farmácia, Benedito Donizete Alves, Carlos Eduardo Gimenes e Pedro do Gás se pronunciaram contra o sistema eletrônico de votação. Para Damasceno, não se justiça a colocação de um painel eletrônico, pois existem somente 13 vereadores. Para ele, existe transparência na votação porque há microfones nas mesas dos edis e as sessões são transmitidas pela TV Câmara. Além disso, ele é contra o voto secreto.

Já os vereadores Herval Rosa Seabra e José Carlos Albuquerque disseram que são a favor, pois aumentará a transparência e o registro das votações não irá gerar dúvidas. Os edis César ML, Marcos Custódio e José Expedito Capacete não foram encontrados para comentar o fato.

Comentários

Mais vistos