Notícias

Busca

MATRA

Após mais de um mês: Servidores municipais decidem encerrar a greve e vão ter de repor dias parados

18 de junho de 2015 - 11:39

Os servidores públicos municipais decidiram em assembleia realizada ontem (17), no Espaço Cultural Ezequiel Bambini, encerrar a greve que já durava 35 dias. A maioria presente aceitou as propostas da Prefeitura de não descontar nos próximos salários os dias parados. Porém, os funcionários públicos municipais em greve terão de repor os dias não trabalhados, conforme determinação da Secretaria a que estão ligados. “Agora aguardamos a homologação do acordo com a Prefeitura. Com isso, a audiência de conciliação que aconteceria no TJ na sexta-feira (amanhã) não acontecerá mais”, comentou o presidente do Sindimmar (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos no Município de Marília), Mauro Cirino.

Também ficou acordada entre Prefeitura e Sindicato a formação de uma comissão de servidores e representantes do Sindimmar para estudar a criação de um índice municipal para futuros reajustes salariais. O prefeito Vinícius Camarinha (PSB) reiterou que a Administração Municipal sempre manteve o diálogo aberto com os servidores e que, em comum acordo com o Sindimmar, ficou mantido o reajuste de 4,5% – já pago na folha de maio, incluindo também o retroativo a abril (database da categoria).

“Desde o início da negociação do reajuste salarial, nós fizemos quatro audiências para discutir um aumento condizente com a atual realidade econômica do país. Oferecemos e pagamos o reajuste mesmo com a greve em andamento. Outro detalhe importante é que sempre tivemos o interesse em valorizar o servidor que tem nos ajudado a administrar a cidade de Marília”.

Nas próximas horas será formalizado um documento entre as assessorias jurídicas da Prefeitura e do Sindimmar com os pontos acordados por ambas as partes. “Esperamos que os servidores municipais retomem normalmente as suas atividades. Este acordo beneficia, principalmente, a população da nossa cidade, que voltará a ter o bom atendimento dos serviços públicos municipais”, finalizou o chefe do Executivo.

Maior da história

A greve dos servidores municipais deste ano foi a maior da história. Na gestão Domingos Alcalde, na década de 1990, o movimento não chegou a completar duas semanas, de acordo com informações do próprio Sindimmar.

Churrasco de linguiça

A mobilização dos servidores concentrou principalmente representantes da Educação e teve alguns fatos que chamaram a atenção. A caveirinha – com os dizeres: servidor público aguardando por reajuste digno – foi o símbolo dos grevistas. O camping na praça Saturnino de Brito, os churrascos de linguiça e as paródias de músicas sertanejas e forrós com críticas ao gestor municipal foram outras marcas da greve. Passeatas, carreatas e assembleias foram realizadas em mais de um mês de paralisação para informar e buscar o apoio da população ao movimento.

Fonte: Jornal da Manhã

Comentários

Mais vistos