Notícias

Busca

MATRA

ARTIGO: A importância das árvores na cidade

18 de agosto de 2015 - 09:13

Minha indignação com a política pública ambiental de Marília persiste e se solidifica a cada movimento de degradação ambiental e social vista na cidade. Recentemente houve erradicação de dezenas de árvores centenárias, exóticas e nativas algumas espécies em extinção como Araucárias. Você já sabe do que digo! Tudo indica que será feita uma avenida, não me incomodam as avenidas e ruas novas desde que se façam projetos e perceba as necessidades reais do transito caótico e contemple um Plano de Mobilidade Urbana e Plano de Erradicação.

As árvores possuem uma diversidade de funções que vão desde o paisagismo, até o abrigo de seres vivos, alimentar e abrigar espécies animais sendo assim fundamental ao ecossistema e com isso dão-se a preservação ambiental e a garantia de qualidade de vida. Esta foi uma área de manancial que permitiu-se a expansão urbana e hoje trata-se de uma área urbana com potencial imobiliário. Deveria ter sido devidamente preservada e arborizada protegendo as nascentes e tutelando nosso abastecimento público de água de superfície. Me inquieto…Teremos água para tantos condomínios construídos na cidade sem qualquer estudo socioambiental… Mande perfurar um poço, estiquem a faixa de agradecimento da população e lá vamos nós para reeleição…

Ao me deparar com o DAP (medida de circunferência da árvore que lhe atribui a idade) percebemos o tamanho do impacto e dano ambiental causado. As áreas verdes, corredores ecológicos, manutenção e plantio de árvores pela cidade protegem o lençol freático e diminuem a sensação térmica. Creio que a cidade possa se desenvolver e preservar o meio ambiente. A isso chamamos desenvolvimento sustentável, forma de agir e executar obras inexistentes por aqui, visto que o foco é o ganho econômico somente.

As alternativas para que estas árvores permanecessem nesta região da cidade seriam os transplantes arbóreos, projetos urbanísticos que contemplassem a manutenção destas árvores e ainda compensação ambiental do impacto com as obras. A especulação imobiliária, a alteração de fachadas comerciais e os desmandos políticos tornam Marília uma cidade vertiginosamente sem pontuação no Programa Município Verde Azul e com alternância de temperatura digna dos grandes centros urbanos e com cada vez mais problemas hídricos.

Perdemos mais uma vez… Eu mesma me encarregarei de colocar a faixa de agradecimento ao cidadão caso alguém descubra de quem é o Estudo Ambiental da obra e qual o objetivo e justificativa para tamanha matança da natureza.

* por Soninha Cristina Guirado Cardoso (Gestora Socioambiental) – Artigo publicado na edição de 18/08/2015 do Jornal da Manhã

Comentários

Mais vistos