Notícias

Busca

MATRA

Câmara 1: Vereadores pedem abertura de CPI da Merenda

12 de abril de 2011 - 14:56

Muita gente foi pega de surpresa ontem, durante a Sessão da Câmara, quando o vereador Mário Coraíni, entre a leitura de um requerimento e outro, pediu a palavra para anunciar e entregar à Mesa Diretora da Casa o pedido de instauração da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Merenda.

 

Quem estava presente nas galerias da Câmara pode ver a expressão de susto estampada no rosto de alguns vereadores e até mesmo uma reunião feita às pressas entre três deles – Herval Rosa Seabra, Pedro do Gás e Eduardo Gimenes.

 

O documento assinado pelos vereadores Mário Coraíni, Wilson Damasceno, Júnior da Farmácia, Eduardo Nascimento e Sydney Gobetti requer a instauração da CPI a fim de apurar as possíveis irregularidades cometidas no fornecimento de merenda escolar em Marília.

 

As denúncias sobre irregularidades no fornecimento desde serviço ganharam novo peso após o jornal O Estado de São Paulo divulgar o conteúdo dos depoimentos que o empresário Genivaldo Marques dos Santos prestou ao Ministério Público em virtude de um acordo de delação premiada.

 

Genivaldo, sócio da Verdurama – empresa envolvida no mega-esquema de corrupção conhecido como “Máfia da Merenda” – afirmou em seus depoimentos que o prefeito de Marília, Mário Bulgareli, e seu antecessor, o deputado federal Abelardo Camarinha, receberiam propina de 10% do valor total do contrato firmado entre a prefeitura e a atual empresa fornecedora de merenda na cidade, a SP Alimentação – empresa acusada de ser a principal responsável pelo esquema.

 

Ainda segundo a denúncia, os preços apresentados pela SP Alimentação durante o processo licitatório seriam previamente combinados, ficando abaixo do apresentado pelas concorrentes. Esses valores baixos eram compensados mediante emissão de notas fiscais frias, que informavam a entrega de mais alimentos do que o realmente era fornecido.

 

“A função do Legislativo é investigar o Executivo. Essa CPI deve apurar as possíveis irregularidades cometidas com a terceirização do serviço de fornecimento de merenda em Marília, para que esta Casa demonstre o zelo que tem com a gestão pública. Embora o Ministério Público já esteja investigando, esse processo demorará décadas para terminar, e a Câmara pode ter a coragem e a dignidade de pedir a imediata cassação e punição dos responsáveis”, explicou Mário Coraíni.

 

A MATRA espera que os vereadores não fujam de sua responsabilidade enquanto parlamentares e apurem sim, com seriedade, as sérias denúncias de um monstruoso esquema de corrupção na cidade.

Para ler o requerimento entregue à Diretoria da Câmara na íntegra, clique aqui.

(VM)

Comentários

Mais vistos