Notícias

Busca

MATRA

Corregedoria do município investiga Gota de Leite

01 de março de 2017 - 10:23

A Corregedoria Geral de Marília investiga a Associação Feminina de Marília Maternidade e Gota de Leite, que atua em parceria com a Prefeitura no programa ESF (Estratégia Saúde da Família).

O processo administrativo foi aberto em portaria publicada no Diário Oficial do município, onde também já foi designada comissão especial para realizar a apuração de supostas irregularidades.

O grupo de trabalho será presidido por Ângela Ianuário e conta com os membros Jairo Florêncio Carvalho Filho e Fábio Henrique de Oliveira Jorge, além do suplente Alexandre Oliveira Campos.

A portaria é assinada pela corregedora geral do município, Valquíria Galo Febrônio Alves, e subscrita pelo Secretário Municipal da Administração, José Alcides Faneco.

Valquíria levou em conta para abertura do procedimento um protocolo com data de 5 de abril do ano passado feita pelo coordenador do Fundo Municipal de Saúde.

O documento aponta que recursos destinados ao pagamento do convênio entre a Gota de Leite e Prefeitura teriam sido utilizados para custeio de pessoal de serviços que estão fora da abrangência do contrato.

A reportagem tentou contato por celular na manhã desta segunda-feira (27) com a responsável pela Gota de Leite, Virgínia Balloni, que também é presidente do Comus (Conselho Municipal da Saúde), mas ela não atendeu a reportagem.

Câmara

Nas últimas semanas o vereador Cícero da Silva (PV) apresentou requerimento para que fosse criada uma comissão na Câmara para apurar irregularidades na Gota [leia aqui].

De acordo com o requerimento número 99 de 2017, as suspeitas envolvem possíveis irregularidades relacionadas à última administração municipal quanto à contratação da “Gota de Leite” e funcionários para prestarem serviços na ESF.

Segundo o documento apresentado por Cícero, são inúmeras as denúncias e pedidos de providências para se apurar “contratação de pessoas ligadas a políticos, e que através de tais influências recebem salários acima da realidade; além do não cumprimento da jornada de trabalho, dentre outras irregularidades”.

Na ocasião, Virgínia disse ao Marília Notícia que “se eles [vereadores] quiserem vir, dar uma olhada, conhecer a Gota, conhecer a situação, nós estamos às ordens”.

O vereador Evandro Galete (PTN) também quer detalhes de todos os funcionários contratados pela Gota em parceria com a Prefeitura.

O requerimento já havia sido apresentado nas últimas semanas, mas não houve tempo para sua leitura. Na próxima sessão, quinta-feira (2) ele retorna para a pauta da sessão ordinária.

Fonte: Marília Notícia

Comentários

Mais vistos