Notícias

Busca

MATRA

Denúncia: Poder Legislativo questiona contratação da Agroatta

26 de fevereiro de 2015 - 10:41

Dispensa de Licitação_agroatta

O Poder Legislativo questiona a contratação da Agroatta pela Prefeitura. A administração municipal vai investir R$ 1,257 milhão nos seus serviços, visando o combate à dengue. No entanto, há dúvidas quanto à idoneidade do contrato. Um empresário local esteve na sede da empresa, em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, e encontrou o escritório fechado. Ele fez a denúncia publicamente ontem.

O vereador Marcos Rezende apresentou requerimento, já aprovado na Câmara, solicitando informações sobre a Agroatta. Ontem, durante a audiência pública da Saúde, o vereador Cícero Carlos da Silva (do Ceasa), levantou o assunto.

A Agroatta faz desinsetização e vende produtos saneantes. A Prefeitura contratou a empresa para reforço das ações do controle do mosquito que transmite a dengue, Aedes Aegypti. No entanto, a sede de Três Lagoas da empresa foi encontrada fechada pelo empresário Antônio Augusto Ambrósio (Tato), que esteve na cidade e não conseguiu encontrar nenhum representante. “Nem uma secretária estava lá. A casa está fechada, com mato, sem sinal de trabalho no local”.

Tato compareceu a audiência pública da Saúde e distribuiu fotografias da sede da Agroatta em Três Lagoas aos presentes na Câmara Municipal. A Agroatta tem matriz em Jales, São Paulo, e o Jornal da Manhã entrou em contato com a empresa. Quando a funcionária foi questionada sobre a sede de Três Lagoas informou que o contato poderia ser feito por um número de celular. A equipe de reportagem ligou e o vendedor que atendeu informou que a empresa no Mato Grosso do Sul funciona diariamente em horário comercial, apesar de o empresário mariliense ter encontrado o imóvel fechado.

Quando o Jornal da Manhã perguntou ao vendedor sobre o contrato com a Prefeitura de Marília, foi informado que deveria ligar para outro número de celular, mas dessa vez a ligação não foi atendida. O telefone fixo da sede em Três Lagoas consta na internet como indisponível.

“Como é que a Prefeitura investe mais de um milhão de recursos da população em uma empresa que não tem sede, ou que a sede está fechada”, desabafou o empresário durante a audiência pública. O vereador Mário Coraíni acrescentou que a Prefeitura informou que contratariauma empresa especializada, mas que a Agroatta precisou terceirizar o serviço de outra empresa localizada na região de Marília. “Concordo que o Município tenha decretado calamidade pública. Nesse estado de emergência é importante contratações diretas sem necessidade de licitações que atrasam o processo. Porem, é preciso verificar a seriedade da empresa”.

A dispensa de licitação consta na edição de 13 de fevereiro do Diário Oficial do Município (página 4), onde a contratação da Agroatta é feita via endereço de Três Lagoas /MS, na rua Tiradentes, nº 395.

 Posição do Secretário da Saúde

Durante a audiência pública, o secretário municipal da Saúde, Luiz Takano, foi questionado sobre os critérios utilizados para a escolha da Agroatta, mas informou que a contratação foi feita pelo setor administrativo da Prefeitura, que pode responder sobre isso. Ele acrescentou que o valor de R$ 1,257 milhão é global e será parcelado em valores de R$ 300 mil, conforme execução do serviço contratado.

 Fonte: Jornal da Manhã

Comentários

Mais vistos