Notícias

Busca

MATRA

Deputado depõe, mas não diz quem vendia emendas em SP

17 de novembro de 2011 - 13:54

O deputado estadual Roque Barbiere (PTB-SP) prestou depoimento ao Ministério Público de São Paulo, mas não apresentou os nomes dos envolvidos no suposto esquema de venda de emendas da Assembleia Legislativa denunciado por ele.

Barbiere foi ouvido pelo promotor de Justiça Carlos Cardoso na quinta-feira da semana passada e não levou à investigação nenhum elemento novo, segundo a assessoria da Promotoria.

Em entrevista à Folha no dia 12 de outubro, o deputado disse que entregaria ao promotor "indícios muito sérios" sobre a participação de até nove deputados e ex-deputados no esquema.

"Quero combinar com o promotor se é conveniente eu divulgar os nomes, deixar que ele divulgue ou nenhum dos dois divulgar até ele terminar a investigação", afirmou Barbiere em outubro.

Além dos nomes, o deputado havia prometido levar uma testemunha ao Ministério Público.

SILÊNCIO

Ao não identificar os envolvidos, Barbiere repetiu na Promotoria a conduta adotada em manifestação por escrito ao Conselho de Ética da assembleia e em outras entrevistas à imprensa.

Somente em um discurso no plenário da Casa legislativa Barbiere chegou a levantar suspeitas diretas, em relação ao deputado estadual Dilmo dos Santos (PV).

O promotor também já ouviu no inquérito do caso o deputado major Olímpio (PDT), na semana retrasada.

Antes de depor, Olímpio havia dito ao Conselho de Ética que uma líder de entidade assistencial havia revelado a ele a existência do esquema.

Procurado pela reportagem na semana retrasada, o promotor afirmou que Olímpio confirmou ter recebido a denúncia da dirigente e fez críticas ao sistema de liberação de verbas por meio das emendas da Assembleia, mas não levou novos indícios para a investigação.

A testemunha mencionada por Olímpio é Terezinha Barbosa, que dirige a entidade Centro Cultural Educacional Santa Terezinha.

NOVOS DEPOIMENTOS

A Promotoria deve colher o depoimento dela nos próximos dias, de acordo com a assessoria do órgão.

À Folha Barbosa disse no último dia 26 que recebeu ofertas de três deputados para participar das negociatas com as emendas, mas também não indicou os nomes dos supostos envolvidos.

O promotor já informou que não ficaria na dependência do depoimento de Barbiere para prosseguir nas apurações do caso.

Segundo Cardoso, a análise das emendas que levaram à destinação de recursos no período de 2007 a 2011 poderá permitir a descoberta de eventuais irregularidades.

A investigação sobre a denúncia de Barbiere já foi encerrada na Assembleia.

Fonte: Folha de São Paulo – 17/11/2011

Comentários

Mais vistos