Notícias

Busca

MATRA

Eleições 2012: Com 52,51% dos votos anulados, Marília caminha para nova eleição

23 de novembro de 2012 - 08:21

Recontagem foi necessária após cassação do prefeito eleito de Marília, SP.
Caso a decisão for mantida, novas eleições podem ser realizadas.

A Justiça Eleitoral fez nesta quinta-feira (22) à tarde a recontagem dos votos para prefeito em Marília (SP). A retotalização foi necessária após o prefeito eleito, Vinicius Camarinha, ter o registro da candidatura cassado e os mais de 61 mil votos anulados pela Justiça por uso indevido de jornal e rádio. Pela recontagem, que soma os votos anulados do candidato e os votos nulos, Vinícius Camarinha obteve 52% dos votos.

Isso significa que, caso a decisão do juiz eleitoral Silas Silva Souza seja mantida pelo Tribunal Regional Eleitoral, novas eleições podem ser realizadas. Uma vez que o prefeito eleito obteve mais de 50% dos votos. Mas, a definição se novas eleições vão ocorrer ou não só será possível após o TRE analisar o caso. 

A recontagem dos votos foi feita pela chefe do cartório em Marília (SP), ela inseriu os dados no sistema que fez o trabalho automaticamente. Dois juízes eleitorais e o promotor eleitoral acompanharam a recontagem acompanharam tudo, agentes da Polícia Federal fizeram a segurança no lado de dentro do cartório. No lado de fora, a Polícia Militar acompanhou de perto a manifestação de eleitores contrários à decisão da Justiça.

Sobre o caso

O prefeito eleito de Marília teve o registro de candidatura cassado pelo juiz eleitoral Silas Silva Santos. A ação contra Vinícius Camarinha foi movida por dois adversários dele nas eleições deste ano. Eles alegam abuso do poder econômico e uso indevido das mídias sociais, jornais e rádios.

Segundo o advogado Éneas Hamilton Silva Neto, da coligação partidária de Daniel Alonso, também candidato a prefeito e um dos representantes da ação, Vinícius Camarinha usou a imprensa para se promover e denegrir a imagem dos outros candidatos e isso interferiu no resultado das urnas.

Vinícius Camarinha confirmou que sabe da existência de uma representação de adversários contra a campanha dele, no entanto, ainda não foi notificado oficialmente da decisão do juiz eleitoral. Mesmo assim, disse que irá recorrer da decisão. “Se tiver uma decisão não favorável à escolha da população, que me elegeu nas urnas, eu vou trabalhar e recorrer até às últimas instâncias. Mas, até o momento não tenho nenhuma informação oficial”, afirma.

A decisão do juiz teria saído na sexta-feira (16) à tarde, minutos antes do fim do expediente. A reportagem da TV Tem teve acesso à decisão nesta segunda-feira (19), disponível no Cartório Eleitoral. Nela, o juiz cassa o registro de candidatura de Camarinha e do vice-prefeito pelos motivos apontados na ação movida pelas coligações de Daniel Alonso e Ticiano Tóffoli, o que deixa dos dois inelegíveis por oito anos.

A decisão também inclui a empresária Sandra Mara Norbiato, dona de um jornal impresso de Marília, que também ficaria inelegível para cargos públicos nos próximos oito anos. Como ela não foi candidata nas últimas eleições a decisão vale para próximos pleitos. Por telefone, a empresária disse que irá recorrer da decisão e afirmou estar surpresa. "O nosso jornal é democrático e não apoiou nenhum candidato durante as eleições, dando igual espaço para todos", ressaltou. Caso a decisão seja mantida pelo Tribunal Regional Eleitoral, novas eleições devem acontecer, uma vez que Vinícius Camarinha obteve a maioria dos votos.

Para ver matéria completa: Clique Aqui

Fonte: G1

Comentários

Mais vistos