Notícias

Busca

MATRA

Justiça marca a anulação de votos de Vinícius para esta quinta-feira

21 de novembro de 2012 - 09:27
Está marcada para amanhã (22), às 17h, no Fórum Eleitoral, a retotalização dos votos da eleição de Marília. Os 61.767 votos obtidos pelo candidato a prefeito Vinícius Camarinha (PSB) vão ser anulados pela Justiça Eleitoral, após a cassação do registro de candidatura dele e do vice Sérgio Lopes Sobrinho (PSC) na última sexta-feira.
Com a anulação de 51,78% dos votos válidos, nova eleição deve ser convocada.
A chefe do cartório da 70ª zona eleitoral, Karina Marcussi Gomes, informou que o sistema do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) será modificado e a situação de Vinícius Camarinha vai aparecer como “registro cassado”. “Os votos serão anulados”.
Vinícius Camarinha avisou que vai recorrer da decisão de primeira instância assim que intimado pela Justiça Eleitoral.
Vale lembrar que, além do TRE Tribunal Regional Eleitoral), a decisão em última instância pode acontecer no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em caso de novo recurso.
O juiz Silas Silva Santos cassou o registro de candidatura do prefeito eleito Vinícius Camarinha (PSB) por abuso de poder econômico por uso de mídias sociais, em despacho assinado na última sexta-feira (16).
Com a anulação de mais de 50% dos votos, nova eleição deve ser convocada em Marília sem a participação da chapa formada por Vinícius Camarinha e Sérgio Lopes Sobrinho (PSC).
Há quem garanta que o segundo colocado no pleito o atual prefeito Ticiano Toffoli (PT) com 23.311 votos (19,54%) assuma o cargo em 1º de janeiro de 2012, em caso de manutenção da decisão em instâncias superiores da Justiça Eleitoral.
A decisão da Justiça Eleitoral foi tomada a partir de representação impetrada pelas coligações majoritárias encabeçadas por PT e PSDB.
Vinícius Camarinha teria utilizado um jornal e rádios ligadas ao grupo político dele para atacar adversários na eleição deste ano e garantir promoção à candidatura dele.
Ele também é investigado pela Polícia Federal por possível patrocínio de churrascos dos quais ele aparece em fotos, o que pode caracterizar compra de votos.
Se não reverter a decisão, além de não poder assumir como prefeito ele ainda perde seus direitos políticos por oito anos, ficando assim inelegível e perdendo também o cargo de deputado estadual.
O despacho do juiz eleitoral Silas Silva Santos não contraria o MPE (Ministério Público Eleitoral), que reconhece as irregularidades.
A única discordância é em relação à real ligação de Vinícius Camarinha e seu grupo político com o jornal e as rádios utilizados para os ataques aos adversários na eleição deste ano.

Fonte: Jornal da Manhã de Marília

Comentários

Mais vistos