Notícias

Busca

MATRA

População aprova 1ª panfletagem do FSM contra o aumento do IPTU

01 de agosto de 2011 - 09:59

“Parabéns, também somos contra o jeito que o prefeito está fazendo este IPTU”, “Outra vez ele vai subir o IPTU? Ele não desiste!”, “Todos que pagam aluguéis deveriam ser isentos de IPTU”, “Esse prefeito está de brincadeira!”. Estas foram algumas das manifestações positivas que ouvi da população durante a panfletagem promovida pelo Fórum Social de Marília (FSM), no sábado (30/07/2011), pela manhã, na região do Terminal Rodoviário Urbano. A grande maioria da população que recebeu um papel do tamanho de meia folha de sulfite leu e guardou o material que trouxe dois textos: um sobre os objetivos do FSM e outro sobre a batalha do grupo no momento que quer que o prefeito discuta amplamente a planta genérica com a cidade antes de definir os valores do novo IPTU de Marília. A próxima audiência pública sobre o tema será dia 25 de agosto, no auditório que fica no prédio da Biblioteca Municipal, na avenida Sampaio Vidal.

Mas também registrei manifestações negativas desse tipo “isso não adianta nada, vocês são loucos”. Completamente compreensível para uma população acostumada ao silêncio imposto por suas autoridades. Percebi que algumas pessoas ficavam até constrangidas por estarmos nos manifestando, como se protestar contra as injustiças sociais, fosse descabido e aviltante. Estou acostumada a isso. Querer saber o porquê do problema é proibido para o brasileiro, que reclama muito, mas pouco se importa com os porquês dos problemas e muito menos em solucioná-los. Isso é produto de uma cultura promovida por um sistema que confunde respeito com cale a boca.

É preciso se manifestar, colocar a boca no trombone. Do contrário, políticos que sequer leram livros de OSPB (Organização Social e Política Brasileira), nas escolas, continuarão a promover políticas públicas pífias que apenas produzem benefícios a pequenos grupos. Exemplo, uma reforma que poderia custar R$ 1 mil reais, são orçadas por R$ 5 mil. E isso vem acontecendo sistematicamente em vários setores públicos do país e de Marília, conforme denúncias da mídia. Mas se podemos gastar dinheiro público com reforminhas que geram notas fiscais alteradas, porque economizar não é mesmo?Lembram-se da CPI da Merenda Escolar que vem investigando desvio de verbas na aquisição dos alimentos às crianças de Marília? Um belo rombo que tirou comida dos pratos das crianças, substituindo-a por salsichas e pães.

Isso precisa mudar. Para tanto, o FSM quer contar com você para Marília venha a ter políticas públicas com a boa qualidade que todos merecem. Afinal, pagamos e muito para isso. O FSM se reúne quinzenalmente, todas as quartas-feiras, no salão de reuniões da Câmara Municipal de Marília, a chamada casa do povo. Compareça e una-se a nós por uma Marília melhor, justa e honesta.

Autora: Márcia de Oliveira, jornalista
 

Comentários

Mais vistos