Notícias

Busca

MATRA

Relógio de sol: Após nove anos, obra continua inacabada; prejuízo é de R$ 70 mil

06 de novembro de 2014 - 11:10

Em 2005, durante o governo do então prefeito Mário Bulgareli, foi firmado contrato com a empresa E.C.P. Construções Ltda por R$ 70.350,00 para a construção de um relógio de sol na Av. Sampaio Vidal. O serviço foi iniciado em 04 de junho e deveria ser finalizado em 04 de agosto, porém a obra nunca foi finalizada.

Apenas em 2007 parte da construção foi entregue, com a instalação de uma fonte luminosa e estruturação para a instalação do relógio de sol. Mas a obra não possuía fiação, luminárias, era precária em encanamentos, não possuía saídas de água para funcionar como fonte luminosa, além de não ter uma casa de máquinas. Como a obra ficou inacabada, houve prejuízo aos cofres públicos por ocasião dos pagamentos feitos à empresa responsável.

Em reposta a um ofício enviado pela MATRA na época questionando a não conclusão da construção, a Prefeitura informou que todos os equipamentos haviam sido fornecidos e instalados pela empresa, porém a fonte não pôde ser utilizada devido a um surto de dengue, o que levou ao desativamento das outras fontes da cidade. Também foi informado que a Secretaria de Obras Públicas retirou os equipamentos da obra e os guardou na Garagem Municipal por causa dos constantes furtos de materiais.

Por causa de todos os fatos ocorridos, a MATRA enviou representação ao Ministério Público Estadual no dia 20 de janeiro de 2012 requerendo a instauração de uma investigação para apurar se houve dano ao patrimônio público por omissão e negligência do prefeito Mário Bulgareli.

O inquérito chegou a ser aberto, porém o caso acabou sendo arquivado. Agora, nove anos após o início das obras, a MATRA questiona: quem pagará por esse prejuízo?

Comentários

Mais vistos