Notícias

Busca

MATRA

Saúde da Família: Prefeitura atrasa repasse e pagamento não sai

11 de novembro de 2014 - 07:38

Aproximadamente 600 profissionais da rede básica de saúde, contratados via Gota de Leite, não receberam seus salários no quinto dia útil. O motivo é que a Prefeitura atrasou o repasse da folha de pagamento à maternidade. Segundo a administração municipal, a situação será regularizada hoje.

A Gota de Leite somente intermedia a contratação dos trabalhadores da ESF (Estratégia de Saúde da Família), mas eles atuam na rede básica do Município, sejam os profissionais de saúde, administrativos ou de apoio. Mensalmente, a maternidade aguarda o repasse do valor referente a essa folha de pagamento, de aproximadamente R$ 1,1 milhão, para efetuar a transferência bancária ou emitir os cheques aos funcionários.

“Tivemos um único atraso antes e foi na gestão anterior (2012), o que durou alguns dias. Com essa gestão é a primeira vez que acontece, mas o problema já está sendo solucionado”, disse a presidente da Maternidade Gota de Leite, Virginia Balloni.

O diretor regional do Sin- Saúde, sindicato da categoria, Aristeu Carriel, frisou que muitos funcionários pagarão multas e juros em suas contas em função desse atraso. “Mais de 500 famílias estão sendo afetadas. A Prefeitura quer economizar, mas não pode prejudicar o trabalhador, que tem seus compromissos”. Uma das funcionárias da ESF, que não quis se identificar, informou que todas as suas contas venceram ontem, e que o atraso impossibilitou o pagamento. “Inclusive a minha fatura do cartão de crédito, que cobra juros altos”.

No entanto, ela acrescentou que em dez anos que atua na Estratégia de Saúde da Família, o atraso só havia acontecido uma vez. Virginia ressaltou que o recebimento em dia é uma obrigação patronal, mas reiterou que o secretário municipal da Fazenda, Sérgio Moretti, garantiu o repasse à Gota ainda ontem, até o final do dia, para que o pagamento seja efetuado.

“A Prefeitura nos repassou a maior parte da folha de pagamento, mas não integralmente. Como o valor não era compatível com todos os pagamentos, tivemos que aguardar para que todos os trabalhadores da ESF recebam ao mesmo tempo. É uma questão legal”, disse a presidente da Gota. Ontem, o secretário municipal da Saúde, Luiz Takano, esteve com ela para uma reunião técnica.

Fonte: Jornal da Manhã

Comentários

Mais vistos