Notícias

Busca

MATRA

Vistas: Votação de projeto para implantação de usina de reciclagem em Marília é adiado

31 de maio de 2011 - 11:41

 

Na Sessão da Câmara de ontem(30), o vereador Sydney Gobetti pediu vistas por cinco dias do projeto de lei que autoriza a Prefeitura a celebrar contrato de concessão para licenciamento, implantação e operação de usina de processamento de resíduos sólidos para transformação e venda de energia elétrica, venda de créditos de carbono, triagem, reciclagem e compostagem ou produção de gases. Com isso, a pauta foi trancada e a Sessão suspensa.

 

Gobetti alegou que acreditava que todos os vereadores gostariam de ter mais tempo para analisar o projeto, tendo em vista a complexidade do assunto. Os vereadores também reclamaram que não constava na pauta os pareceres das comissões sobre o assunto e que o projeto enviado pela Prefeitura não era detalhado, o que dificultava sua análise.

 

O vereador José Carlos Albuquerque lembrou que a construção de mais de uma usina de reciclagem em Marília foi uma das promessas de campanha do prefeito Mário Bulgareli, que não apenas deixou de cumprir o prometido como também, por descaso, permitiu que o aterro sanitário de Avencas fosse interditado, obrigando aos marilienses a pagarem pelo transbordo de seu lixo à outra cidade, serviço que custa cerca de R$ 600 mil por mês.

 

“Um dos objetivos da campanha era fazer usina nas zonas norte, sul, leste e oeste. Cadê? Do lixo descartado na cidade, 70% pode ser reaproveitado. Isso iria reabastecer as indústrias, gerar empregos. Quanto mais será gasto com transbordo até que se busquem meios políticos para gastarmos menos com isso e mais em outras prioridades?”, questionou o vereador.

 

ASFALTO

 

Ainda na Sessão de ontem, Albuquerque usou a tribuna por pelo menos três vezes para falar mal da qualidade do serviço de recapeamento e tapa-buraco que vêm sendo feito em Marília.

 

Segundo o vereador, muitos munícipes têm reclamado para ele que os buracos voltam a abrir alguns meses depois de tapados. Além disso, Albuquerque disse que o serviço de recapeamento não esta sendo feito da maneira correta.

 

O vereador, que é da base aliada do governo na Casa, reclamou ainda da falta de sinalização de solo e de placas em diversas ruas da cidade e do descaso da Prefeitura com a greve dos médicos.

 

Donizeti Alves, líder do governo na Câmara, teve que sair em defesa do prefeito e usou a tribuna para dizer que, pelos menos nos trabalhos de tapa-buraco que ele acompanhou, o serviço foi feito corretamente.

Comentários

Mais vistos